Criação de Jogos – Guia do Iniciante

Como fazer um videogame

Há muito o que fazer na criação de jogos.

Cada videogame combina vários meios artísticos, da música à arte e à animação, a programação e até uma forma de arte à sua maneira.

Todas essas formas de arte se juntam a um mecanismo de jogo e, neste guia, mostraremos nossos todos os mecanismos, ou Engines mais favoritos.

Qual o melhor software para fazer um videogame?

Se você tem centenas de milhares de reais para poder aplicar na criação de um jogo e uma formação em programação profissional, sempre pode começar com algo como o CryEngine, mas para a maioria das pessoas isso não é realista.

E também, supondo que você não queira começar completamente do zero, você precisa escolher o software de criação de jogos adequado ao seu nível de habilidade e a seu bolso.

Há muitas opções gratuitas e opções premium para escolher e cada uma possui seu próprio conjunto de características boas e ruins.

Abaixo, nós listamos algumas das melhores opções disponíveis no mercado, quer você esteja tentando construir uma cópia do aclamado jogo Pong, um jogo de ação fascinante ou um RPG na linha do The Legend of Zelda ou EarthBound.

Com um comentário inspirador para os aspirantes a desenvolvedores de jogos, a ferramenta não faz o jogo.

Escolha o mecanismo com o qual você se sente mais confortável e que melhor se adequa à história que deseja contar.

Unity

Unity 3d Para Criação de Jogos

Se você quer realmente começar a desenvolver seriamente jogos, o Unity é a ferramenta onde você deve começar.

Inúmeros sucessos “indie” (Sigla em inglês que classifica criação de jogos Independentes) foram criados usando o Unity, de Hollow Knight a Cuphead e Escape from Tarkov.

O que é mais impressionante no Unity é que ele é poderoso o suficiente para lançar um título de qualidade AAA enquanto é acessível aos iniciantes na área.

Ah!

E você pode usá-lo gratuitamente, desde que seu estúdio de jogos em crescimento tenha ganho menores  à US $ 100.000 (mais de R$ 500.000,00) nos 12 meses anteriores.

Portanto, para desenvolvedores individuais ou equipes pequenas, o Unity é a ferramenta de criação de jogos obrigatória.

A Unity Asset Store tem de tudo, desde modelos de personagens a ambientes completos que em sua maioria são muito baratos ou, em alguns casos até gratuitos.

Mesmo que você não tenha experiência com programação e não consiga modelar um personagem você pode criar um jogo com o Unity.

Simultaneamente, o Unity também prepara você para o sucesso. A plataforma principal é para a construção de jogos. No entanto, o Unity inclui uma ampla gama de ferramentas adicionais para que você possa atingir os objetivos do seu jogo além do processo de desenvolvimento.

Em resumo, existe uma ferramenta de simulação de jogo, na qual você pode aproveitar o poder da nuvem para testar seu jogo em inúmeras tentativas, além de um mecanismo de monetização, se quiser ganhar algum dinheiro extra com jogos para mobile (celular).

Vídeo sobre o Unity – https://www.youtube.com/watch?v=gincn1XNs14&feature=youtu.be

Unreal Engine 4

Ferramentar de Criação de Jogos

Em quanto o Unity é um mecanismo que “pode” ser usado para criar jogos AAA, o Unreal Engine é efetivamente uma ferramenta usada para fazer jogos AAA.

E é usado muito.

Se você jogou Final Fantasy VII Remake, Star Wars Jedi: Fallen Order, Fortnite, Borderlands 3 ou Kingdom Hearts III, você jogou um game criado com Unreal Engine 4.

Porém, essa é apenas uma pequena amostra de jogos recentes que usam o mecanismo.

Unreal é a ferramenta que você deve usar se tiver sérias aspirações sobre trabalhar em um estúdio de jogos AAA.

Felizmente, a Epic Games percorreu um longo caminho nos últimos anos para tornar o mecanismo mais acessível.

Por exemplo, você não precisa mais de um conhecimento denso de C ++ ou de ativos para começar a criar seu jogo.

Como a Unity, a Unreal tem um mercado movimentado com modelos 3D, ambientes, scripts e muito mais. A Epic também distribui pacotes de conteúdo todos os meses.

Atualmente há um pacote de modelos de arranha-céus altamente detalhados de graça, que normalmente custaria uns R$ 500 reais, ou mais.

Para alguns, a Unreal pode realmente ser uma escolha melhor do que a Unity, graças ao seu sistema de Blueprint Visual Scripting.

A Unreal usa C ++, porém você não precisa escrever linhas de código para adicionar scripts ao seu jogo.

Os blueprints fornecem uma representação visual do que seu código está fazendo, permitindo assim conectar vários nós para criar um script.

Nessa mesma linha, ainda existe uma curva de aprendizado no Blueprints pois, ele oferece todo o poder do C ++ , mas é muito mais fácil e certamente mais agradável do que passar horas aprendendo uma linguagem de programação.

O bixo pega quando falamos do custo do Unreal.

 A ferramenta em si é gratuita.

Porém, somente se você estiver distribuindo um jogo de graça ou apenas brincando, você pode usar o Unreal Engine 4 em sua capacidade total gratuitamente.

Contudo se você está gerando alguma receita, deverá pagar à Epic 5% de sua receita a cada trimestre, se sua receita ultrapassar os U$ 3.000 com um editor.

Vídeo sobre o Unreal – https://www.youtube.com/watch?v=Xr8VwyLJ9gI&feature=youtu.be

GameMaker

Game Maker para criação de Jogos

Com toda certeza, se você é fã de jogos independentes, provavelmente já trombou com o GameMaker mais de uma vez.

Essa é a ferramenta por trás da Hotline Miami, Downwell, Minit, Sperlunky e o recentemente lançado Levelhead, que chegou a um acordo com o Xbox Game Pass.

Essa ferramenta ocupa o extremo oposto de um espectro de Unreal Engine ou o Unity atingindo um equilíbrio entre os dois.

Dito isso, se você está criando um jogo em 2D e não precisa de todos os recursos do Unity, o GameMaker é uma excelente opção.

Além disso, o GameMaker coloca as muitas ferramentas necessárias para desenvolver um jogo englobadas em um único pacote. Se você quiser criar tudo sozinho com o Unity ou o Unreal, precisará acessar ferramentas de edição de imagem, software de modelagem 3D e software de áudio, entre outras coisas.

Porém, no caso do GameMaker, tudo já é incorporado, desde um editor de imagens no estilo Photoshop até um editor de animação completo.

Você pode, facilmente, criar um jogo completo usando nada além de GameMaker.

Quer algo ainda melhor?

Você também não precisará de nenhum conhecimento de programação, pois a ferramenta é baseada em sua própria linguagem de programação, GML.

O GameMaker também possui embutido, um editor de script visual com nós de arrastar e soltar, o que significa que você pode criar código facilmente sem saber nada sobre a sua linguagem de programação.

Maravilha né?

Mas onde é que vem o lado ruim do GameMaker?

O preço!

Embora você acabe gastando muito mais com o Unity ou o Unreal se acabar criando um game de sucesso, com o GameMaker tem um custo inicial mais alto.

Para o GameMaker, será necessário comprar o mecanismo e uma licença, ou seja, se você deseja desenvolver para várias plataformas, precisará comprar uma licença para essas plataformas.

Ainda assim, o GameMaker acaba sendo mais barato a longo prazo e, com a quantidade de recursos e ativos de aprendizado disponíveis, é um preço baixo a pagar.

Vídeo sobre o GameMaker – https://www.youtube.com/watch?v=-OX232GwikI&feature=youtu.be

RPG Maker MV – Criação de Jogos de RPG

Ferramentas para criar jogos

A história do RPG Maker é bemlonga, ela começou em 1988.

Em resumo, o RPG Maker é uma ferramenta de criação de jogos em 2D que faz exclusivamente RPGs, ou, mais precisamente, JRPGs.

O RPG Maker prega flexibilidade para acessibilidade.

Você pode começar na criação de jogos imediatamente, com toda a lógica e os recursos prontos para você.

Da mesma forma, se quiser, você pode apenas desempenhar o papel de um designer de níveis, apenas colocando personagens, game assets e itens em seu mapa já predefinido, como achar melhor.

Em suma, o RPG Maker funciona em uma grade, ao criar seu mapa, você pode arrastar blocos da sua caixa de ativos para a tela para criar o ambiente.

Similarmente, você pode vincular eventos a esses blocos e escolher uma taxa de “aparecimento” aleatório para uma área inteira.

O RPG Maker basicamente tem tudo o que você precisa.

Todos os sistemas já estão programados, logo, tudo o que você precisa fazer é especificar as condições desses sistemas.

Da mesma forma, se você achar que os sistemas predefinidos não são suficientes, você pode expandir o RPG Maker com plug-ins que estão disponíveis na comunidade da ferramenta (que até hoje é bem ativa).

Se você for um conhecedor de Javascript, você poderá editar todo o código subjacente para se adequar ao seu jogo.

Porém, o RPG Maker não tem o mesmo poder que o Unity ou o

Um bom exemplo de título criado usando o RPG Maker é o grande sucesso – To the Moon.

Um destaque, o RPG Maker usa muito o estilo de asset e personagens baseados em Pixel Art – Dê uma conferida em nosso artigo – Pixel Art – Uma Breve Introdução.

Vídeo sobre o RPG Maker – https://www.youtube.com/watch?v=AdLt8ZcyCqA&feature=youtu.be

Construct 3 – Criação de Jogos Raiz!

O Construct não é tão conhecido quanto as oustras engines acima, mas ainda é uma ferramenta de design de jogo bem competente.

Por exemplo, é usado principalmente para jogos para celular por desenvolvedores como EA, Sega e Zynga.

Porém, para nós o jogo mais importante que foi lançado usando o Construct foi o Iconoclast, que incrivelmente foi desenvolvido por uma única pessoa usando uma versão modificada do Construct original.

O Construto 3 traz algumas mudanças, no entanto, a mais importante delas é a programação baseada em blocos.

Portanto é ainda mais fácil de usar do que o GameMaker e o Unreal Engine.

Assim, cada nó possui instruções muito claras, permitindo a criação de scripts de uma forma bem intuitiva.

O único “downside” da ferramenta é a necessidade de renovação constante da licença.

Ao contrário de Unity e Unreal, que permitem que você realmente desenvolva seus jogos de graça, o Construct é pago.

Mesmo a ferramenta tendo uma versão gratuita, ainda sim é muito limitada.

A versão completa custa US $ 99 por ano.

Vídeo sobre o Construct 3 – https://www.youtube.com/watch?v=pWiC5Ln_0yA&feature=youtu.be

Dicas para facilitar a criação de jogos

Comece pequeno – Pense grande

No caso, se você é um aspirante a desenvolvedor de jogos, com toda certeza já ouviu a mesma coisa várias vezes: comece pequeno. Estamos aqui para reforçar isso.

Como os videogames combinam tantas formas de arte diferentes, é improvável, se não impossível, desenvolver um jogo massivo sozinho.

Em síntese, essa é uma das razões de que a maioria dos títulos independentes são simples jogos 2D.

Crie um gancho – algo que chame a atenção

Ao começar seu jogo, é muito importante ter um “gancho”.

Um gancho?

Sim, algo que atraia e prenda o jogador na tela.

Quase sempre, o gancho mais óbvio é o narrativo, algum tipo de conceito interessante que atrai o jogador.

Se você der uma olhada em jogos bem-sucedidos para pequenos estúdios, o gancho geralmente é baseado na jogabilidade.

Por exemplo, o Minit baseia-se em explorar por não mais de um minuto, enquanto o Downwell é um jogo de plataformas 2D que vai de cima para baixo em vez da esquerda para a direita.

Se você pode definir uma mecânica interessante que deseja explorar, isso criará mais direção para o seu jogo e irá definir melhor o escopo dele.

Tenha algo Familiar – Algo que o jogador já está acostumado

Você não deseja criar sua Shotgum com uma ferramenta que ainda está aprendendo a usar.

Simplesmente, depois de instalar a engine que escolher, gaste algum tempo desenvolvendo jogos muito simples e criando protótipos para outros enquanto aprende o software.

Logo, quando você começar a desenvolver o seu primeiro jogo completo, estará confortável com a ferramenta que está usando, percorrendo a interface com teclas de atalho, sem perguntas sobre onde algo está.

Por fim, Torne-se parte da comunidade de criação de Jogos – “Team-up”

Antes de mais nada, verifique se você não está desenvolvendo seu jogo isoladamente.

Não é apenas difícil manter a objetividade, mas de certo é um processo solitário que corre um alto risco de desgaste.

Praticamente todas as ferramentas mencionadas acima têm comunidades prósperas e com usuários dispostos a ajudar.

Enfim, não importa qual ferramenta você use, tente se misturar com a comunidade para aprender mais sobre a criação de jogos, tanto da perspectiva técnica quanto do estilo de vida.

Bom sem mais, é isso – Tudo o que você precisa saber sobre Criação de Jogos!

Espero que tenha gostado.

Caso deseje conhecer mais a fundo sobre a Criação de Jogos, segue uma sugestão de artigo bem completo, escrito por um de nossos parceiros o Player Acima dos Trinta.

Outros artigos que você poderá curtir:

Artigo sobre Pixel Art

4 thoughts on “Criação de Jogos – Guia do Iniciante”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.